A antiga construção da Igreja Nossa Senhora do Bom Sucesso resiste ao tempo e ajuda a contar um pouco de nossa história. Em 1840 foi autorizada sua construção, mas só no ano de 1849 é que a obra foi iniciada, através de mãos escravas, como contam os historiadores e os pioneiros da cidade. Construída com pedras brutas e conchas, a Igreja, além do aspecto religioso, registra acontecimentos da história do Brasil, como a abolição da escravatura. Essa história foi registrada por intermédio de um antigo sino rachado, que se encontra em exposição no interior da Capela. Contam os moradores que no dia da assinatura da Lei Áurea, que promoveu a abolição da escravatura, assinada pela Princesa Isabel, os escravos tocaram o sino 24 horas ininterruptas, o que resultou na rachadura do sino. Isso datava 13 de maio de 1888, registrando com o toque do sino, a alegria dos escravos libertados.
No interior da Igreja, encontram-se algumas peças barrocas, como a de Nossa Senhora do Bom Sucesso e a de Santo Amaro, que conforme contam os historiadores e os moradores do local, foram presenteadas pela Família Real, na ocasião de sua visita.
Foi ancorada na fé e na crença que a localidade foi crescendo. Tanto que, após a construção da Capela, o lugar que era conhecido como “Arraial de Bom Sucesso” passou a se chamar “ Freguesia de Nossa Senhora do Bom Sucesso”.
Quase sempre o progresso esteve atrelado ao religioso. As igrejas já foram palcos de grandes conquistas, que narram a história de um lugar, cidade, estado ou país.
São poucos os registros, mas muitas são as histórias, lembranças e saudades que descrevem a vida, a fé e a perseverança de um povo em registrar sua história de vida.
A Igreja Nossa Senhora do Bom Sucesso foi tombada como patrimônio histórico pelo município, através do Decreto nº 3007/98, e pelo Estado, através do Decreto nº 2992/98.
As lembranças, as imagens, as pessoas e os lugares ajudam a contar nossa história. São experiências vividas, pessoas conhecidas e lugares frequentados que ficam registrados em nossa memória. Histórias e momentos que não podem ser esquecidos pelo tempo. Faça parte do resgate histórico cultural de Balneário Camboriú.
Se você tem fotografias, documentos ou outros registros que possam contribuir com a história do município, entre em contato pelo (47) 8464-5234 (Whatsapp) – com Gisele.
Fonte: Arquivo Histórico de Balneário Camboriú

Compartilhar

Sobre a autora