Aproximadamente na década de 1970, no governo de Gilberto Américo Meirinho, foram plantadas árvores grandes chamadas cientificamente de Dillenia Indica. Segundo a professora Marlene Buratto, que era a Diretora de Planejamento, essas árvores foram plantadas na época da revitalização da Praça do Pescador, na Barra. É uma árvore típica da Ásia Tropical e, por isso, prefere o clima quente e úmido, adaptando-se bem ao local. Seu fruto tem cores verdes e amarelas e apresenta uma forma globosa. Quando cortadas, apresentam um forte cheiro e no passado foram utilizadas como porta-níqueis, moedas eram colocadas em suas calotas, por isso, o nome popular de “árvore do dinheiro”.
As lembranças, as imagens, as pessoas e os lugares ajudam a contar nossa história. São experiências vividas, pessoas conhecidas e lugares frequentados que ficam registrados em nossa memória. Histórias e momentos que não podem ser esquecidos pelo tempo. Faça parte do resgate histórico cultural de Balneário Camboriú.
Se você tem fotografias, documentos ou outros registros que possam contribuir com a história do município, entre em contato pelo (47) 8464-5234 (Whatsapp) – com Gisele.
Fonte: Arquivo Histórico de Balneário Camboriú

Compartilhar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com