O Hotel Fischer, inaugurado dia 15 de dezembro de 1957, é um dos empreendimentos mais famosos da história de Balneário Camboriú, considerado um marco da arquitetura, da hotelaria e do turismo a nível nacional.

Estes reconhecimentos surgiram graças ao pioneirismo e ousadia do alemão Adolfo Fischer (1903-1990), taxado de louco por ser visionário, conforme aponta um dos poucos relatos bibligráficos sobre a história do hotel: “Homem de visão, adquiriu uma extensa área de terra no canto sul da praia e ali construiu o famoso Hotel Fischer. Sua visão foi além das expectativas gerais, não faltando palpites que Fischer era um louco: construir um hotel de classe internacional num deserto como era o pontal”¹.

O Fischer foi primeiro hotel de luxo de Balneário Camboriú. Quando inaugurado, possuía quatro pavimentos, 26 quartos luxuosos, 18 apartamentos e suítes, algo “difícil de se encontrar até mesmo em Florianópolis”². Tinha capacidade para 108 hóspedes, servidos por dois refeitórios, sala de estar com lareira, terraço ao ar livre, auditório para crianças e serviço de bar. Foi o primeiro hotel de Balneário Camboriú a ter banheiro em todos os quartos. Sua inauguração foi um grande marco, sendo considerado pela imprensa como “um dos melhores hoteis de varaneio do sul do país”³. Ao longo de sua história, recebeu hóspedes de renome e importância internacional, como o ex-presidente da república, João Goulart (1919-1976).

O Hotel ficou em operação até 2009, fechando suas portas após 52 anos de funcionamento. Apesar de Balneário Camboriú ser uma cidade planejada, não houve um plano para estimular a preservação de alguns bens materiais de extrema importância para a história do município, como é o caso do Hotel Fischer. O fato de o empreendimento estar fechado, a falta de articulação de políticas públicas e as generosas ofertas de negócios proporcionadas pela construção civil são considerados os principais fatores que levaram à venda e, consequentemente, à demolição do Hotel, em 2012.

Hoje, a única forma de contemplarmos suas características arquitetônicas, entender sua importância histórica e a ousadia de Adolfo Fischer é através de imagens e dos relatos bibliográficos aleatórios sobre a história do Hotel.

Nos resta, portanto, construir e preservar esta história, que está intimamente ligada à de Balneário Camboriú, município que atualmente mantém boa parte de sua economia e identidade cultural sustentada pelo setor do turismo.

Fonte: https://memoriahotelfischer.wordpress.com/

¹ CORRÊA, Isaque de Borba. História de duas cidades: Camboriú e Balneário Camboriú. Balneário Camboriú, Ed. do autor, 1985.

² Jornal “Página 3”. Dezembro de 1997. Arquivo Histórico de Balneário Camboriú.

³ Jornal “O Itajaí”. Dezembro de 1957. Arquivo Histórico de Balneário Camboriú.

Fonte vídeo: Terra Brasil Terraplenagem

 

Compartilhar

Sobre a autora

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com