Na década de 1950, a paisagem da praia de Balneário Camboriú era agreste. “Tava cheio de roseta, cheio de pitanga, gabiroba, goiaba, tudo isso tinha lá”, conta Klaus Fischer. Pitanga e goiaba hoje apenas nos sabores artificiais dos picolés. O cenário natural e, até certo ponto, inóspito, foi o escolhido para a edificação do Hotel Fischer. Escolha inusitada e ousada. Tal postura, por fim, transformou-se num símbolo do empreendedorismo no setor turístico e imobiliário da cidade.

Fonte texto: Hotel Fischer: Fotografias e Memória
Fonte imagem: Hotel Fischer: Fotografias e Memória

Coordenação geral: Sergio Antonio Ulber
Edição: Núcleo Catarinense de Fotografia – NCF nucleocf.tumblr.com
Análise Histórica: Murilo Maluche Schaefer
Análise Patrimônio Arquitetônico e Urbanístico: Gabriel Gallarza
Análise Moda e Estilo de Vida: Caroline Santos
Análise Iconográfica: Sergio Antonio Ulber
Textos e revisão: Vinicius Batista de Oliveira
Projeto gráfico e diagramação: Felipe Gallarza
Curadoria fotográfica: Felipe Gallarza e Sergio Antonio Ulber
Digitalização: Vitor Ebel
Tratamento: Felipe Gallarza e Sergio Antonio Ulber

Compartilhar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com